Ler é uma festa!

 
Gostar de ler
              Gostar de poesia
 
A leitura está intimamente relacionada com o desempenho escolar e, por isso, todos os pais, educadores e professores sofrem perante a possibilidade de as crianças não gostarem de ler.
Desde que as crianças entram na escola que a aposta na leitura não oferece dúvidas: primeiro aprender a decifrar o que está escrito, depois, aprender a compreender, a interpretar para produzir conhecimento. Este percurso só é rápido na etapa inicial, nunca tem fim, a aprendizagem da leitura continua pela vida fora e a sua qualidade depende do nosso investimento. A nossa sobrevivência depende sempre da nossa capacidade de leitura, quer seja no sentido literal, leitura de textos, quer de acontecimentos, situações, pessoas, imagens… A cada instante da nossa vida, a nossa capacidade de leitura é posta à prova!
Não obstante, a escola, as políticas de ensino e a sociedade em geral têm também uma enorme responsabilidade por não conseguirem formar leitores para vida, negando assim a possibilidade de fazer acontecer aquilo que a todo o custo querem promover: A leitura.
A maior parte das tarefas de leitura da escola visam a retenção de informação de consumo e avaliação imediatos, aparecem invariavelmente associadas à realização de exercícios de aplicação, portanto, significam mais trabalho para as crianças e alunos.
Por outro queixam-se pais, educadores, professores e adultos em geral que a linguagem apelativa das novas tecnologias afasta as crianças e os jovens do convívio com os livros e com os hábitos de leitura.
Como diz J.C.Abrantes, citado por Amor (2006: 108), devemos “unir a escrita, a leitura, a fala, aos audiovisuais e aos média. É uma estratégia de sobrevivência, para dar alma e humanidade aos audiovisuais e aos média, para lhes dar significado. É uma estratégia de sobrevivência para dar alento à escrita, à leitura, à fala, a partir das imagens e dos sons vividos pelos jovens de hoje.” Ainda nos acrescenta Amor (2006: 108), que “sendo um espaço vivido e participado, o espaço da escola – marcado pela cultura escrita – tornar-se-á um espaço de leitura, em sentido amplo e, assim, um lugar de criação de cultura.”
Tentar incutir hábitos de leitura e convencer os alunos a lerem para toda a vida passa por motivá-los, isto é, passa por mostrar e associar a leitura a momentos verdadeiramente aprazíveis. Este ano letivo, na escola, a Biblioteca Escolar tem vindo a desenvolver a atividade “O Café dos Poetas”– espaço privilegiado de interação social, associado à ideia do espaço comercial de um tradicional “Café”, aliado à promoção da leitura de poesia. Os alunos aderiram fortemente a esta atividade, acontecendo ter mais de 20 alunos a apresentarem poesias, combinando as suas prestações com diferentes expressões artísticas e recursos audiovisuais.
Ainda no decurso deste ano letivo, foram organizados dois “Desfiles de Poesia- os alunos desfilarem na passarela modelos de roupas criados por si em colaboração com as famílias, ilustrativos das poesias que em viva voz apresentavam. Esta iniciativa foi igualmente do agrado dos alunos e dos professores.
Acreditamos que o contacto com a poesia pode desenvolver nos alunos a capacidade da leitura, potenciar a capacidade interpretativa e o interesse pela produção escrita, mormente de poesias.
Mostrar a toda a escola que ler é bom, foi a nossa intenção, que os alunos estiveram felizes foi uma realidade! Até porque Ler é uma festa!
 
Tânia Silva
 

 

Mais artigos...

Somos uma...